Magnum, New York Times e Clarín no Fotojornalismo

by

Novas linguagens do Fotojornalismo: estudo sobre a Agência Magnum e as versões online de The New York Times e Clarín.

O Fotojornalismo, nascido entre 1850-60 durante a Guerra da Criméia, passou por diversas mudanças de linguagem.

Com o surgimento da internet na década de 90, o Fotojornalismo enfrentou a crise dos direitos autorais ao mesmo tempo que ganhou uma concepção nova: a informação além da imagem, complementando através de áudio e/ou dados.

MagnumA primeira agência de fotografia da história do Fotojornalismo, a Magnum Photos, foi fundada por Robert Capa, Henri Cartier-Bresson, David Seymour e George Rodger em 1947. Hoje ela desenvolve produções intituladas “Magnum In Motion” no site www.magnumphotos.com, considerada uma nova (e importante) linguagem no Fotojornalismo. As fotografias são mostradas em slideshow e complementadas com o áudio do fotojornalista correspondente – através de um depoimento pessoal.

The New York TimesA The New York Times utiliza a mesma linguagem da “Magnum In Motion” no site www.nytimes.com/multimedia, intitulada de “Audio & Photos“. A versão online do jornal americano produz uma outra linguagem de fotografia, ainda sem nome, denominada genericamente de “Interactive Feature“. A produção “Faces of the Dead in Iraq” junta a imagem dos mortos na Guerra do Iraque com os dados de cada um.

ClarinA versão online do jornal argentino Clarín, produz um jornalismo não-linear com a construção da fotorreportagem. A linguagem fotojornalística abre a possibilidade da junção entre fotografia, texto, dados e áudio, como o especial “Malvinas 25 años“.


%d blogueiros gostam disto: